sábado, 17 de janeiro de 2009

Dia de muita labuta!

A meio do meu expediente, vou aos provadores e dou com os mesmos a abarrotar de gente e um casal de 50 e poucos, gordos e altos (tipo altos e gordos), aqueles que passaram a vida no McDonalds, sentados no meio do corredor dos provadores. Estavam sentados num banco de um provador gentilmente "cedido" por alguém, que não sabemos quem. O banco é daqueles muito pequeninos parecidos com os da Zara. Agora imagem um gordo sentado em cima do outro, naquele banquinho pequenino. Parecia uma habilidade de circo. E o mais engraçado é que estavam lá imóveis tipo estátua. Pareciam de cera. Depois o mais engraçado era ver a reacção das pessoas quando os viam e o seu ar de "não se passa nada de anormal, é como se estivessemos na paragem de autocarro e não estorvamos nada, podem passar à vontade que o corredor é enorme e nós não somos gordos nem nada". Ao mesmo tempo oiço uma velha a queixar-se que a nossa loja parecia a loja do chinês, mas não saia de lá... Depois ainda teve a lata de nos informar que deveriamos ter ao menos uns cartões para as pessoas porem os pés, já que não tinhamos alcatifa, o chão estava gelado e a sua filha (de quase 40 anos) podia-se constipar. O mais engraçado foi como eu e as minhas colegas ignoramos a mulher por completo. Continuamos a fazer o que estavamos a fazer e cagámos literalmente na puta da velha. Depois na caixa aparece-me uma senhora com o cabelo que parecia o cabelo da Bridget Jones quando vai para o date com o advogado, a perguntar se nós não tinhamos encontrado ontem um saco da Bershka. Disse-lhe que não e à minha colega disse que talvez a senhora tivesse deixado o saco no cabeleireiro que não foi! Ou pior, no cabeleireiro que foi. Passado cinco minutos aparece-nos uma quarentona toda maquiada mas e vestida à bem vestido se estivessemos em 2000, mas com o penteado da Amy Winehouse. Escusado será dizer que telefonei a todas as minhas colegas a cantar o Rehab. Mas ao contrário da Amy, a senhora até era simpática e carinhosa com a mãe! " Oh MAMÃ (uma senhora com 40 anos a chamar mamã à mãe) traz-me as meias... ". Mas se a amy deixou as drogas, esta senhora de certeza que não. Deu-me o Visa para pagar e mostrou-me o BI. Na altura de confirmar mete-me o código. Volta para fazer outra compra, e queixa-se do calor na nossa loja, mas sempre super educada. Respondi-lhe um " Já vi o dinheiro que poupa numa viagem às Caraíbas?" Ri-se e tal, eu também, mas o que apetecia dizer-lhe era " se tirar a camisa de gola alta, o cardigan, o cachecol e o sobretudo talvez já não tenha tanto frio. E a propósito, não podem entrar animais dentro do centro ,portanto, da próxima vez, deixe a parte de cima do seu sobretudo em casa. Isso tem uns botões que é só abrir...e pronto...livra-se do caniche morto que tem aí pendurado. Depois apareceram-me umas pitas que compraram um vestido para meterem conversa na caixa comigo e passados dez minutos foram lá devolvê-lo. Por último, apareceu-me uma senhora com umas calças de ganga apertadas até não mais!!! Top e casaco de cabedal e os belos dos arnette na cabeça. Imagem a visão, basta pensarem em alguém da margem sul... Mas essa senhora eu até compreendo e desculpo. É que estava tanto calor na loja que a senhora teve de meter as banhas de fora... Como podem ver, isto hoje é que foi trabalhar.

3 comentários:

M. disse...

Bem tu estás imparável...

XS disse...

Tenho que arranjar um part-time na tua loja! Definitivamente!
Beijinhos:)

PS: Estiveste em Matosinhos e não disseste nada? Foi? FOI? FOOOOIIIII?
Está bem, pronto...:(

Ana paula disse...

Pelo menos dá para te divertires!!!
Eu já trabalhei em pronto-a-vestir e compreendo do que falas, aparece cada uma, que só visto.
Depois passei para o vitrinismo e mesmo assim, dentro das montras tb tenho histórias que davam um blog:)

beijinhos